Aeroporto de Guarulhos é considerado o melhor do país em sua categoria

aeroporto

O Aeroporto Internacional de São Paulo foi apontado como o melhor aeroporto do Brasil na categoria acima de 15 milhões de passageiros por ano, de acordo com Relatório de Desempenho Operacional dos Aeroportos, realizado pela Secretaria Nacional de Aviação Civil (SAC) referente ao quarto trimestre de 2017.

Em uma escala de 1 a 5, o aeroporto ficou com a nota de 4,43, com base em 37 indicadores que medem qual o nível de satisfação dos passageiros. Os itens apontam desde a qualidade nas informações dos painéis e a oferta de estrutura comercial para os usuários, até quesitos como tempo de fila para check-in e cordialidade dos funcionários.

De acordo com a concessionária GRU Airport, nos últimos cinco anos foram realizadas melhorias para aumentar o conforto e a agilidade no embarque e desembarque dos usuários, como a construção de um terceiro terminal de passageiros; a modernização do Terminal 2, que acrescentou 23 mil metros quadrados (m²) de área operacional (check-in, raio-X, controle de passaporte e restituição de bagagem); e ampliação da quantidade de lojas e restaurantes, passando de 100 opções em 2013 para cerca de 270 em 2017.

O diretor de operações da GRU Airport, Miguel Dau, destacou a construção do Centro de Controle de Operações (CCO) como uma ferramenta importante para que o aeroporto – que recebe 40 milhões de passageiros por ano e 250 mil por dia – alcançasse a posição de destaque no ranking. “Isso aqui é quase uma cidade, dentro de um espaço de 14 quilômetros. Eu tenho que ter um centro de controle que consolida todas as informações a respeito do que acontece dentro desse aeroporto e que dali sejam emanadas informações para manutenção da operação, que vai desde as aeronaves até acidente de passageiro, atropelamento na via, trânsito na Rodovia Hélio Smidt, trânsito na [rodovia Presidente] Dutra [vias de acesso ao aeroporto] que vai afetar aqui o aeroporto, tudo isso é tratado lá dentro”.

Há também um centro de operações de emergência, que é acionado quando o CCO identifica um episódio de crise. “Quando você vive uma crise, como a gente já viveu aqui, ela é transferida para esta sala e existe um plano de emergência a ser executado. Há uma equipe previamente definida [para esses casos]. O centro de operações de emergência aciona esse plano em função da emergência que surja: pode ser ameaça de bomba, ameaça de sequestro, uma doença grave a bordo de uma aeronave – como a gente já viveu de ebola”, disse.

Essa equipe específica, quando acionada, trata do evento isoladamente, deixando que o CCO continue cuidando da operação normal do aeroporto. “Essa é a finalidade dessa estrutura e aí você tem por trás disso toda uma tecnologia de câmeras, de automatismo, que facilitam a tomada de decisão e a operação. Essa tecnologia veio facilitar a vida do aeroporto”, explicou o diretor. O aeroporto conta com cerca de duas mil câmeras que monitoram a operação das aeronaves e a segurança dos diversos espaços.

De acordo com a empresa concessionária, a meta é realizar novas obras para atingir, até o final da concessão em 2032, a capacidade para receber mais de 60 milhões de passageiros por ano e melhorar na avaliação feita por usuários e passageiros. Entre as obras previstas estão um novo pátio de aeronaves, com planejamento para 2019, e o novo píer – onde ficam os portões de embarque – no Terminal 3, para 2021.

Fonte: Agência Brasil

Outros Posts

Latam e Azul reajustam preço para despacho de bagagem

A Latam reajustou no último dia 29/1 os preços no serviço de despacho de bagagens. O valor inicial, que era de R$ 30, passou para R$ 40. O preço é válido para uma peça de 23kg em voos nacionais e se a franquia for comprada antecipadamente. No aeroporto, o valor é de R$ 80.

A Azul também promoveu reajuste no valor do serviço, que passou a R$ 50, na compra antecipada ou R$ 60 no momento de despachar a bagagem. GOL e Avianca não informaram se farão alguma alteração na tarifa. Ambas companhias aéreas cobram R$ 30 para uma mala de 23kg em voos domésticos.

 

Outros Posts

Viracopos é um dos aeroportos mais bem avaliados no país

Os aeroportos de Viracopos, em Campinas, e o do Curitiba, aparecem na frente na Pesquisa de Satisfação de Passageiros que avalia os 20 principais aeroportos brasileiros, responsáveis pela movimentação de cerca de 87% de todos os passageiros transportados no país. Os dois terminais invertem resultado da pesquisa anterior, quando o aeroporto do interior de São Paulo ficou em primeiro lugar.

Logo atrás dos dois terminais, aparecem os aeroportos de Confins (MG), Natal (RN) e Santos Dumont (RJ). O aeroporto de Salvador apareceu com a menor avaliação entre todos os pesquisados.

Os números foram divulgados nesta terça-feira (30/1) pela Secretaria Nacional de Aviação Civil, vinculada ao Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. A pesquisa, referente ao quarto trimestre de 2017, avaliou a satisfação dos passageiros em 38 quesitos, tais como atendimento, infraestrutura, serviços, acesso, entre outros. Os entrevistados atribuem notas de 1 a 5 a cada um dos quesitos.

Os números são divulgados trimestralmente pela pasta. Até o 3º trimestre de 2017, a pesquisa abrangia 15 terminais, mas, a partir do 4º trimestre, foram incluídos mais cinco aeroportos: Maceió (AL), Goiânia (GO), Vitória (ES), Belém (PA) e Florianópolis (SC). De acordo com a secretaria, a média de satisfação geral dos dois últimos meses de 2017 desses aeroportos foi 3,99.

Ainda de acordo com o órgão, na avaliação referente aos 15 aeroportos, 91% dos entrevistados classificou os terminais como “bons”, o equivalente a nota 4, ou “muito bons”, nota 5.

O terminal de Curitiba, primeiro na avaliação, obteve nota 4,77. Viracopos aparece com 4,76; Confins e Natal vêm empatados com 4,48. Já o Santos Dumont obteve nota 4,43. O aeroporto de Salvador (Luís Eduardo Magalhães), teve avaliação de 3,91.

Pontos fortes e fracos

De acordo com o secretário nacional de Aviação Civil, Dario Lopes, entre os pontos críticos apontados pelos entrevistados estão o custo-benefício da alimentação, o comércio de forma geral e o acesso aos terminais por meio de transporte público.

“O transporte público é complicado de fazer, uma vez que não é uma responsabilidade direta do gestor aeroportuário, mas gerido pela prefeitura ou pela região metropolitana”, disse. “O que temos feito a este respeito é tentar melhorar o serviço, a exemplo do acordo de operação conjunta entre o táxi convencional e os serviços de aplicativos no aeroporto de Guarulhos”, disse.

De outro lado, entre os fatores que mais contribuem para a avaliação positiva, o secretário destacou o conforto térmico, com a existência de refrigeração adequada; o conforto acústico, e o acesso à internet. “Um dos fatores que têm pesado é conforto térmico, acústico e acesso a internet. Se o aeroporto continua com poltronas boas, tem internet em todo lugar, tem tomada… Qualquer aeroporto que tenha algum problema com um desses itens, a queda na avaliação geral é visível”, disse.

Campinas e Curitiba

Lopes disse que a avaliação dos aeroportos de Curitiba e Viracopos pode estar relacionada com a cooperação dos gestores dos terminais com os órgãos públicos. “Talvez seja uma questão de cultura local, da forma como as pessoas se relacionam. Isso cria sinergias”, disse.

O Caso de Viracopos é atípico. A concessionária que administra o terminal, a Aeroportos Brasil Viracopos (ABV) decidiu, em julho do ano passado, devolver a concessão por conta das dificuldades financeiras e da frustração da demanda do fluxo de passageiros e de cargas.

De acordo com o governo, uma nova licitação será realizada. A expectativa é que ela ocorra ainda nesse primeiro semestre. Até lá, a concessionária continuará administrando o aeroporto e só vai sair depois que o novo consórcio pegar a concessão.

Salvador

No caso de Salvador, Lopes disse que o aeroporto baiano tem apresentado historicamente, os maiores índices de dificuldades. “Ele tem um problema crônico de conforto térmico, o sistema de ar condicionado não tem dimensão suficiente para garantir o conforto térmico dos clientes”, disse. “Há problemas de disponibilidade de tomadas, de poltronas na sala de embarque.

Lopes informou que a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) investiu no aeroporto no segundo semestre de 2017 para resolver boa parte dos problemas. Desde o início de janeiro, o aeroporto passou a ser administrado pela Vinci Airports. A empresa tem até outubro de 2019 para finalizar a primeira parte das exigências contratuais.

A concessionária ficará com o terminal pelos próximos 30 anos. A previsão é que os investimentos comecem em junho. Dentre as ações iniciais previstas para a concessionária, a nova gestora do equipamento, estão previstos para ocorrer a partir de junho deste ano. A empresa tem até outubro de 2019 para iniciar a primeira parte das reformas estruturais.

Dentre elas, está a ampliação da capacidade do terminal de passageiros, do pátio de aeronaves e das vagas de estacionamento. “A expectativa é que agora, com a concessionária entrando, tenha uma injeção de recursos maior e isso vai fazer – não num primeiro instante – mas isso vai melhorar e, em um ano, Salvador vai estar no mesmo nível dos demais”, disse.

Fonte: Agência Brasil

Outros Posts

Air France aumenta número de voos para Fortaleza

air france
Impulsionado pelo sucesso dos três primeiros meses de vendas, a partir de 31 de outubro de 2018, a cidade de Fortaleza receberá mais uma frequência da Air France, totalizando três voos semanais entre a capital cearense e Paris, operados por uma aeronave da recém lançada companhia aérea da empresa francesa, a Joon, e que terão pouco mais de 9 horas de duração.

O voo extra, a ser realizado às quartas-feiras, já está disponível para compras no site da companhia ou com agentes de viagens.

A Air France se junta à KLM e passa a ter o mesmo número de operações da aérea holandesa. O Grupo Air France-KLM, portanto, passa a operar seis vezes por semana de Paris e Amsterdã para Fortaleza. “Desde o início das vendas dos voos de/para Fortaleza, observamos que a demanda dos brasileiros por voos internacionais era grande. Nós queremos contribuir ativamente com essa vontade de viajar, e por isso acrescentamos este voo da Air France”, afirma Jean-Marc Pouchol, diretor geral Air France-KLM para a América do Sul. “O Brasil é um dos nossos mercados prioritários, e queremos oferecer cada vez mais opções aos clientes das regiões Norte e Nordeste, com conexões mais rápidas e otimizadas para a Europa”, ressalta.

Expansão Air France-KLM e Gol no Nordeste
Em parceria com a GOL, que anunciou recentemente operações diárias para os Estados Unidos, o grupo franco-holandês aprimorou sua conectividade com as principais capitais do Norte e Nordeste, como Natal, Recife, Salvador, Brasília, Belém e Manaus.

Aeronaves e serviços
Os voos da Air France serão operados por uma aeronave da Joon, nova companhia aérea da empresa francesa, às quartas, sextas e domingos. Na rota para Paris, a aeronave utilizada será o A340, com capacidade para 278 lugares, incluindo 30 na Business Class, 21 em Premium Economy e 227 em Economy.

Outros Posts