Latam e Azul reajustam preço para despacho de bagagem

A Latam reajustou no último dia 29/1 os preços no serviço de despacho de bagagens. O valor inicial, que era de R$ 30, passou para R$ 40. O preço é válido para uma peça de 23kg em voos nacionais e se a franquia for comprada antecipadamente. No aeroporto, o valor é de R$ 80.

A Azul também promoveu reajuste no valor do serviço, que passou a R$ 50, na compra antecipada ou R$ 60 no momento de despachar a bagagem. GOL e Avianca não informaram se farão alguma alteração na tarifa. Ambas companhias aéreas cobram R$ 30 para uma mala de 23kg em voos domésticos.

 

Outros Posts

British e Iberia adotam nova franquia de bagagem

As companhias aéreas British e Iberia anunciaram nesta quinta-feira (11/1), que passarão a adotar uma nova política de bagagem. A mudança ocorrerá a partir do dia 22 de janeiro deste ano.

Na British, passeiros em First Class poderão despachar 3 malas de 32 quilos cada, na categoria Club World, serão duas malas de 32 quilos cada, na World Traveller Plus e na World Traveller, serão duas malas de 23 quilos cada.

Na Iberia, quem voa na cabine Business Plus, poderá também despachar 3 malas de 32 quilos. Na Turista Premium e na Turista serão duas malas de 23 quilos.

As companhias afirmam que, para as passagens emitidas até 21 de janeiro de 2018, serão obedecidas as regras em vigor.

Outros Posts

Como evitar o extravio de bagagens nos aeroportos

As férias e as comemorações de final de ano devem movimentar os aeroportos nacionais e, nesse período, é essencial estar atento à segurança e ao extravio de bagagens. Dados do relatório Panorama 2016, da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR), indicam que, nos últimos dez anos, a demanda de passageiros de voos domésticos no Brasil mais que dobrou e que aproximadamente 193.200 casos de extravio são registrados por ano no País.

Essa situação ocorre quando a bagagem é despachada no guichê do aeroporto, mas sofre algum atraso, dano ou perda no momento do recebimento. Reunimos dicas da Unisys, empresa global de tecnologia da informação sobre alguns cuidados que podem ajudar a evitar que os passageiros passem por esse tipo de situação.

1 – Certifique-se de que a bagagem foi identificada para o destino correto no momento de despachá-la. Lembre-se de retirar os selos de identificação de viagens anterior para evitar confusão sobre os locais;

2 – Coloque etiquetas ou adesivos com identificação de nome, endereço e telefone para facilitar o reconhecimento das malas nas esteiras. Fitas coloridas e cores vibrantes também ajudam a diferencia-la no recebimento;

3 – Carregue documentos pessoais e de trabalho, objetos de valor monetário ou de uso, dinheiro e equipamentos eletrônicos de pequeno e médio porte sempre com você. Evite despachá-los na bagagem para não perdê-los em caso de extravio;

4 – Se for possível, opte por voos diretos. A maior parte dos casos de extravio de malas acontece nas conexões. Quanto maior o número de escalas, maiores são as chances da sua mala se perder pelo caminho;

5 – Ao recuperar sua mala na esteira, abra-a e confira se todos os seus pertences estão em ordem. Caso perceba a falta de algo, notifique imediatamente a companhia aérea.

Além desses passos, a tecnologia já entrega soluções que permitem monitorar as malas durante a viagem. Em alguns lugares do mundo, a Unisys oferece uma solução de tags que podem ser impressas em casa para ajudar no rastreamento da bagagem, por exemplo. Cada mala recebe um código de barras, que é lido e associado ao registro do bilhete antes do embarque na aeronave, ajudando as companhias aéreas a cumprirem os requisitos de segurança do setor.

“O Brasil tem avançado no controle de bagagens, mas há um novo caminho oferecido pela tecnologia a ser percorrido”, afirma Clovis Chiaravalloti, diretor responsável pela vertical de Transportes da Unisys na América Latina.

“Uma das tendências no setor de aviação é expandir as capacidades de autoatendimento dos aeroportos, ao transferir maior controle dos processos aos passageiros. A tecnologia ajuda a garantir segurança e conforto das operações, ao mesmo tempo em que elimina o número de etapas de verificação nos aeroportos. A tranquilidade de saber que sua mala será entregue em conformidade otimiza a experiência dos clientes”, conclui Chiaravalloti.

A IATA (International Air TransportAssociation), associação que reúne a maioria das companhias aéreas do mundo, prevê que, a partir de junho de 2018, toda mala deve ser rastreada e registrada em quatro pontos obrigatórios: check-in, embarque no avião, transferência entre companhias ou aviões e na entrega ao passageiro.

É importante lembrar que, em caso de extravio, a companhia aérea tem um prazo para localizar e devolver a bagagem ao proprietário. Após esse limite, o passageiro deve ser indenizado. No caso de furtos, além de comunicar a empresa, é necessário realizar um boletim de ocorrência junto à polícia para averiguar o caso.

 

 

Outros Posts

Avianca Brasil voará para Nova York e começa cobrança de bagagens

Avianca

A Avianca Brasil anunciou o início das vendas de passagens para os voos diretos diários que passará a oferecer para Nova York, a partir de 15 de dezembro.

Além disso, a companhia aérea implementou uma reestruturação das classes tarifárias para voos nacionais e internacionais, que será disponibilizada para os consumidores a partir desta segunda-feira, 25 de setembro.

Voos diretos para Nova York

De acordo com a companhia, a decisão de incluir Nova York entre os mercados com voos diretos está relacionada ao seu potencial de demanda, que hoje é um forte destino turístico e de negócios.

“Hoje já oferecemos voos diretos internacionais para Bogotá, na Colômbia; Santiago, no Chile; e Miami, nos Estados Unidos e a procura pela nossa oferta tem sido muito positiva, acima das nossas expectativas. Nova York veio complementar esse plano de expansão. Nosso objetivo é atender tanto o turista quanto o viajante de negócios, que buscam por um serviço diferenciado”, explica Frederico Pedreira, presidente da Avianca Brasil.

A partir de 15 de dezembro, a empresa operará voos diários diretos para o aeroporto internacional John F. Kennedy, com saídas de São Paulo (Guarulhos). Os voos serão realizados com aviões Airbus A330-200, configurados em duas classes de serviço: 32 assentos na Business (Executiva) e 206, na Econômica.

Além da privacidade e mais conforto na classe Executiva, já que os assentos são dispostos na configuração 1-2-1 e reclinam até 180 graus, os passageiros têm à disposição um serviço de bordo diferenciado, com cardápio de refeições especial e bebidas, além dos principais jornais e revistas do Brasil. As poltronas oferecem ainda controle remoto para o sistema de entretimento on-demand, display touschscreen de 15 polegadas, painel de controle do assento, iluminação auxiliar, mesa de apoio, tomadas, conexão USB, porta-objetos e descanso ajustável para a cabeça.

Na classe Econômica, configurada confortavelmente no formato 2-4-2, os passageiros têm entretenimento com monitores individuais touchscreen de 9 polegadas, além de controle remoto, tomada, entrada USB, mesa e descanso ajustável para cabeça e para os pés. Em ambas as classes, os viajantes encontram o sistema de entretenimento com uma enorme variedade de filmes, séries e jogos.

Reestruturação tarifária

A outra novidade anunciada pela empresa é a reestruturação de tarifas que estará disponível para o consumidor brasileiro nesta segunda-feira, 25 de setembro. A partir desta data, a Avianca passará a contar com três famílias: ECONOMY, FLEX, que incluem a franquia de uma ou duas peças de 23kg cada, respectivamente, e a opção PROMO, focada no passageiro que não precisa despachar bagagem e que quer ter acesso a preços ainda mais competitivos.

“Nosso objetivo foi trazer novos clientes para a empresa e atender a um público que não precisa despachar bagagem, oferecendo a ele o mesmo nível de serviço que ofertamos ao mercado atualmente, com preços ainda mais competitivos”, detalha Frederico.

Das três famílias tarifárias que serão comercializadas pela empresa, apenas a PROMO não incluirá franquia de bagagem. Essa é uma tarifa especialmente desenvolvida para quem compra com maior antecedência e viaja apenas com uma bagagem de mão com até 10 kg. Nela, os clientes poderão comprar a franquia separadamente, mesmo após a aquisição do bilhete, em todos os canais de vendas da companhia aérea. Se a compra da peça adicional ocorrer com até seis horas de antecedência ao voo, o cliente terá um desconto de 50% na compra realizada nos canais de atendimento da Avianca Brasil (site, aplicativo, lojas e Central de Vendas) e em agências de viagens. Neste caso, o preço de uma peça de até 23kg custará R$ 30,00. Para compras com antecedência inferior a seis horas do voo, este valor será de R$ 60,00 por peça.

Para os voos internacionais, as nomenclaturas utilizadas serão as mesmas do mercado doméstico e estarão divididas em PROMO, ECONOMY e FLEX, além da BUSINESS PROMO e BUSINESS, que são usadas para viagens em cabine executiva.

Nos voos de ou para a Colômbia e Chile, o cliente terá direito a uma peça de 23 kg para viagens em classe econômica e duas peças de 23kg para viagens em cabine executiva. A franquia para voos de ou para os Estados Unidos será de duas peças de 23kg para viagens em classe econômica e três peças de 23kgs para viagens em cabine executiva. Caso o cliente queira comprar uma franquia de bagagem adicional após a compra de sua passagem internacional, ele também poderá fazê-lo separadamente.

Ao adquirir a franquia com até seis horas de antecedência ao voo, o preço de uma peça de até 23kg custará US$ 20,00* para voos de ou para Colômbia ou Chile e US$ 92,00* para voos de ou para os Estados Unidos. Para compras com seis horas ou menos de antecedência ao voo, os valores passarão a ser US$ 40,00* para voos de ou para Colômbia ou Chile e US$ 185,00* para voos de ou para os Estados Unidos.

A compra de bilhetes e mais detalhes estão disponíveis no site da Avianca Brasil (www.avianca.com.br), pelos telefones 4004-4040 (São Paulo e principais capitais) ou 0300-789-8160 (demais localidades), e via agências de viagens.

* Os valores para voos internacionais serão convertidos em reais (R$), de acordo com a cotação do dólar do dia da compra.

 

Outros Posts