Eventos gratuitos fazem a alegria das crianças no carnaval do Rio

carnaval criança

Recreações culturais, bailes e desfiles de blocos fazem a alegria da criançada no carnaval do Rio de Janeiro, em iniciativas gratuitas que ocorrem a partir desta semana. Um dos blocos infantis mais tradicionais da cidade, o Gigantes da Lira, participa no sábado (27) do programa de verão do Museu de Arte do Rio (MAR), intitulado O MAR de Música especial MAR que Calor. O MAR fica na Praça Mauá, zona portuária da cidade.

No período das 15h às 20h, crianças e adultos participarão de um grande baile circense, que ocorrerá nos pilotis do museu. Enquanto a Banda Gigantes, de batuques e metais, comandada pelo maestro Edimar Lima, tocará marchinhas, malabaristas e bailarinas farão a alegria das crianças com espetáculos aéreos. Haverá também palhaços, bonecos de pernas de pau e o Bobo da Corte Gigante, com 3 metros de altura, que é o símbolo do bloco, entre outras atrações.

Ainda no dia 27, na Lagoa Rodrigo de Freitas, zona sul, a festa está garantida com o bloco Spantinha, que desfila a partir das 9h, precedendo o bloco dos mais velhos, Spanta Neném, com concentração a partir das 12h no Corte do Cantagalo, em outro ponto da Lagoa.

No dia 3 de fevereiro, às 10h, o desfile é do bloco Sá Pereira Infantil, em Botafogo. No mesmo dia, às 9h, o Mini Bloco se apresenta na Praça Xavier de Brito, na Tijuca, zona norte. No dia 4 será a vez do Gigantes da Lira se apresentar em Laranjeiras.

Casa de Rui

Também no dia 4 as crianças têm data e local marcados para brincar antecipadamente o carnaval e aprender um pouco de história. Com início a partir das 14h, elas poderão passar “Um domingo na Casa de Rui Barbosa”, onde morou o famoso jurista brasileiro, em Botafogo, zona sul da cidade.

A programação ocorrerá no Museu Casa de Rui Barbosa e no jardim. Embaladas por marchinhas de carnaval, as crianças terão a oportunidade de confeccionar as próprias máscaras que vão usar durante o dia. Além disso, os pequenos farão uma visita dramatizada ao museu em duas sessões, que ocorrerão às 15h30 e às 16h30, para as quais serão distribuídas 30 senhas.

A visita será conduzida por atores que interpretarão os filhos de Rui Barbosa, Baby e João. Eles explicarão às crianças que durante a época em que Rui Barbosa viveu, entre 1849 e 1923, o divertimento para o carnaval era as pessoas se manterem no anonimato durante a folia, usando máscaras e disfarces. A procura pelas máscaras da família de Rui Barbosa dará às crianças a oportunidade de conhecer cada cômodo da casa onde ele viveu.

No Parque Madureira, no bairro do mesmo nome, na zona norte do Rio, o dia 4 de fevereiro será marcado pela segunda edição da Corrida Pira Run, seguida da apresentação de minidesfile de bloquinhos carnavalescos e de brincadeiras com equipe de recreação, incluindo piscina de bolas infláveis parede de escalada, tobogã com arco grande, arco e flecha, corrida maluca e cama elástica.

Mais blocos

Os festejos carnavalescos continuam no dia 8, com desfile do bloco infantil Cobra Sarada, às 18h, no Parque Guinle, Laranjeiras. Já no domingo de carnaval (11) desfila o bloco Fanfinha, na Praça Chaim Weizmann, em Botafogo, às 10h; e a Banda do Lidinho, às 14h, na Praça do Lido, em Copacabana. Haverá ainda, no dia 11, o Bloco dos Palhacinhos, que desfila na Estrada do Quitungo, em Brás de Pina, zona norte, às 14h. O bloco promove cultura e inclusão social dos moradores do Quitungo, com objetivo de estimular e socializar crianças e jovens para despertar o conhecimento na educação, cultura e assistência social.

No dia 12, no Largo do Machado, no Catete, as crianças começarão a se concentrar às 9h para o desfile do bloco Largo do Machadinho, Mas não Largo do Suquinho. Fechando a programação infantojuvenil do carnaval 2018, a Banda de Ipanema promove baile infantil na Praça General Osório, em Ipanema, zona sul, a partir das 16h.

No dia 13, haverá o desfile das escolas de samba mirins, na Marquês de Sapucaí, região central do Rio. A partir das 18h, desfilam, pela ordem, no Sambódromo, as escolas Tijuquinha do Borel, Golfinhos do Rio de Janeiro, Inocentes da Caprichosos, Ainda Existem Crianças na Vila Kennedy, Miúda do Cabuçu, Nova Geração do Estácio, Pimpolhos da Grande Rio, Filhos da Águia, Império do Futuro, Aprendizes do Salgueiro, Estrelinha da Mocidade, Corações Unidos do Ciep, Herdeiros da Vila, Petizes da Penha, Infantes do Lins e, encerrando as atrações, a escola Mangueira do Amanhã.

Fonte: Agência Brasil

Outros Posts

Aniversário de SP será comemorado com 25 horas de programação cultural

São Paulo

Os 464 anos da cidade de São Paulo serão celebrados no dia 25 de janeiro com uma grande festa no Vale do Anhangabaú e em diversos pontos da cidade. Chamada de A Festa da Cidade, a programação terá início às 11h do dia 25 e se estenderá até às 12h dia seguinte. Serão 25 horas de programação e a expectativa do prefeito João Doria é que mais de 2 milhões de pessoas aproveitem o evento.

“Serão 25 horas de atividades, de festa e de entretenimento para a população da cidade. E quero ressaltar que toda a programação está sendo feita com apoio do setor privado. Não haverá desembolso por parte da prefeitura da cidade de São Paulo”, disse o prefeito. Os patrocinadores da festa, informou Doria, são o Centro Cultural Banco do Brasil e a AES Eletropaulo.

Segundo o secretário municipal de Cultura, André Sturm, a estimativa é que a Festa da Cidade custe em torno de R$ 1,8 milhão. Só o show da cantora Anitta ficará em torno de R$ 245 mil.

A abertura do evento ficará a cargo da cantora sertaneja Paula Fernandes. Às 15h, Letrux, Tulipa Ruiz, Raquel Vírgina e Thiago França fazem um tributo para a cantora Rita Lee. O artista David Bowie também será homenageado com um tributo a partir das 18h. O grupo BaianaSystem com a cantora Karol Conka se apresentam em seguida. O show da cantora Anitta está marcado para as 23h15. Na sequência, sobem ao palco a Banda Uó, Jaloo e Glória Groove. A cantora Gilmelândia fecha os shows no Vale do Anhangabaú às 4h da manhã.

“Como o aniversário é dia 25, serão 25 horas de programação. Buscamos organizar uma programação que pudesse agradar A todos os públicos e que pudesse também ser espalhada pela cidade”, disse o secretário.

Além dos shows, haverá também no Anhangabaú espetáculos de mágica, objetos infláveis lúdicos, palco de karaokê, entre outros.

Outras atrações

Já no Theatro Municipal haverá apresentação da Orquestra Sinfônica, regida por Roberto Minczuk, às 14h do dia 25. Às 19h, apresenta-se o Balé da Cidade a na sexta-feira, às 12h, a Orquestra Experimental de Repertório apresenta diversas óperas.

Na Biblioteca Mário de Andrade haverá apresentações musicais e atividades literárias. Às 11h, haverá show de Cida Moreira e Roberto Camargo e, às 16h, é a vez da atriz Rosi Campos conduzir uma leitura encenada. Na Praça da República, haverá uma programação voltada ao hip hop.

Também haverá eventos em diversos outros pontos da cidade como no Centro Cultural Cidade Tiradentes, no Centro Cultural da Juventude, no Centro Cultural do Grajaú, no Centro Cultural Tendal da Lapa e nos teatros Décio de Almeida Prado, Paulo Eiró e Cacilda Becker. Nestes locais vão se apresentar o rapper Gog e o cantor Rael, entre outros. Também haverá espetáculo circenses e peças de teatro. A programação nos centros culturais e teatros acontecem a partir das 10h do dia 25. A programação completa está disponível no site da prefeitura.

Transporte

Segundo o prefeito, ônibus vão funcionar durante a madrugada para o transporte das pessoas que forem conferir os shows. A prefeitura tenta também negociar com o Metrô para que ele funcione de forma ininterrupta na madrugada do dia 25 para o dia 26 de janeiro.

Fonte: Agência Brasil

Outros Posts

Comprando discos de vinil na Espanha

vinil espanha

Estive em novembro  do ano passado em Pamplona, no nordeste da Espanha, e aproveitei para garimpar discos no único sebo da cidade, a loja Dientes Largos.

Com a ajuda dos amigos Gustavo Bolliger e Ana Carolina Maluf, comprei o disco duplo Beautiful Remix Album, de 1995, da banda Blondie, além de outro duplo, The Greatest Hits Collection, de 1989, do trio inglês Bananarama. E para fechar, comprei Lionheart, segundo álbum da cantora e compositora inglesa Kate Bush, lançado em 1978.

Assista ao programa LoVinyl em Pamplona, Espanha

 

Outros Posts

Uruguai tem o carnaval mais longo do mundo

Carnaval Uruguai
Crédito: Leonardo Correa/Divulgação

O Uruguai tem o carnaval mais longo do mundo, começa em finais de janeiro e continua até meados de março. Durante aproximadamente 40 dias, milhares de pessoas vão as ruas ou casa de espetáculos acompanhar as diversas atrações, que se exibem em todo país, e são marcadas pela mistura das culturas africana e europeia.

Iniciado em Montevidéu, é uma das tradições mais antigas e populares da cultura uruguaia. O ponta pé inicial é dado todos os anos com o Desfile Inaugural na Avenida 18 de Julio, que esse ano acontece no dia 25 de janeiro. Todos os grupos que intervêm no concurso oficial da capital participam acompanhados de carros alegóricos e cortejo de Rainhas do Carnaval.
Além da apresentação na avenida 18 de Julio, existem os famosos desfiles de “Llamadas”. Com forte influência da cultura africana, sob o som do Candombe, esse ano ocorrerão nos dias 8 e 9 de fevereiro e passarão pelo bairro: Sur e Palermo, também na capital uruguaia. A tradição evoca e lembra os encontros dos escravos, que se reuniam fora da cidade durante os séculos XVIII e XIX.

A força e o colorido do ritmo africano fazem os visitantes vibrarem, a manifestação caracteriza-se pelo diálogo de três tipos de tambores: chico, repique e piano. O comovedor espetáculo é o maior no mundo quando se trata de tambores sendo tocados ao mesmo tempo: são mais de 2500 instrumentos unissonantes, arrepiando a alma dos espectadores.

Além de curtir e dançar baixo o som dos tambores do Candombe, o visitante poderá desfrutar da Murga, ritmo de origem espanhola que mistura teatro, paródia, humor e melodia. O gênero é uma das expressões mais genuínas da cultura uruguaia, principalmente por sua participação popular. Nas noites de fevereiro os conjuntos percorrem palcos de bairros – tablados montados nas ruas durante o período de carnaval, onde costumam se apresentar.

Por 35 dias, os grupos carnavalescos de Murgas, Parodistas, Humoristas e Revistas Musicais participam do Concurso Oficial do Carnaval, onde apresentam com humor e sátira a visão do país e do mundo, acompanhados de diversos arranjos corais, vestuários chamativos e maquiagens criativas. Além de Montevidéu, todas as cidades do interior do Uruguai têm seus desfiles inaugurais. Algumas cidades sofrem influência de outros países como Rivera, Artígas e Melo, localidades fronteiriças ao Brasil, que adotam diversos elementos do nosso carnaval.

Dica de passeio: Em Montevidéu pode-se visitar durante o ano todo o Museu do Carnaval. Ali está exposta a memória do carnaval e abriga parte da história nacional. Confira no site: http://museodelcarnaval.org/

Mais sobre o Candombe
As sociedades de Afrodescendentes e Lubolos ou Comparsas de Candombe são herdeiras de uma tradição envolvida nas denominadas Salas de Nación da época Colonial. Os africanos trazidos como escravos lograram transmitir os valores de sua rica cultura. Reconhecido como Patrimônio Imaterial da Humanidade, o Candombe seduz aos visitantes com o peculiar som de seus três tambores. No Desfile de Llamadas tocam em uníssono, ao longo do percurso, 2.500 tambores que constituem a essência da comparsa.

O ritmo do Candombe surge da denominada corda, grupo formado por três tipos de tambores: piano, repique e chico. É tocado batendo o couro com a mão aberta e com uma baqueta que pode bater também na madeira, sempre pendurado ao ombro por uma correia permitindo que o instrumentista caminhe enquanto toca. Diante da corda de tambores, cujo número pode superar os setenta integrantes, seguem adiante com seus trajes típicos o resto da comparsa (marcha). O desfile de “Llamadas” leva seu nome de “la llamada del tambor”, que os afrodescendentes realizavam para se reunirem (em extramuros), longe das propriedades de seus senhores, desde finais do século XIX em alguns cortiços, em determinadas zonas de Montevidéu.

A marcha de cada agrupação é aberta por um estandarte, simbolizando o emblema da Tribo ou Etnia. Depois aparece o corpo de dança e os personagens ancestrais. Personagens como: o Gramilleiro, bruxo da tribo, caracterizado por capa, chapéu, bengala, óculos e barba branca, e mala com ervas de propriedades curativas; a Mama Vieja, de roupa colorida, leque e sombrinha, dança lentamente chamando a atenção do Gramillero; a Escobero, que originalmente guiava os tambores durante o desfile com uma bengala, hoje dança com uma pequena vassoura, dando movimento e seguindo o ritmo dos tambores; e as Vedettes que somam sensualidade as danças, evocam rituais, dançando diante da corda.

Mais sobre a Murga
Embora se identifique com origem Cádiz, cidade situada no sul da Espanha, desde 1908, sofreu muitas transformações, a Murga uruguaia nas últimas décadas transformou-se culturalmente e vem acolhendo cada vez mais adeptos do mundo todo. As Murgas carregam uma amplitude de ritmos musicais, dentre eles a “marcha camión”, que se identificam compassos de percussão do bumbo e do prato. O vestuário e maquiagem carregam herança de outras expressões presentes na arte europeia.

Atualmente, a Murga uruguaia é formada por 17 integrantes: um diretor de cena e coral, 13 coristas ou “cuerda de voces”, divididos segundo seu tom de voz e 3 integrantes formam a bateria, com pratos, bumbo e redobre. As apresentações percorrem palcos públicos e privados principalmente de Montevidéu e interior do país, levam à cena letras com humor, sátira e crítica de temas atuais, normalmente relacionados a política e críticas sociais.

O carnaval nasce dos bairros e a maioria tem uma Murga pela qual torcer, apoiar ou seguir, ora nos desfiles ora nos concursos oficiais, que tem júri qualificador outorgando prêmios e menções. Os ensaios são abertos ao público, isso permite que famílias inteiras memorizem e entoem seus repertórios.

Outros Posts