Azul anuncia voos para Punta e Montevidéu

Azul Linhas Aéreas
Aeronaves da empresa aérea Azul Linhas Aéreas. Na foto, detalhes das caldas das aeronaves.

Clientes da Azul vão poder incluir mais duas opções de destino para aproveitar os próximos feriados e a alta temporada de verão: Montevidéu e Punta del Este. A companhia recebeu a aprovação das autoridades brasileira e uruguaia para operar voos, durante o verão, para Punta del Este com partidas de São Paulo (Viracopos) e Porto Alegre. As ligações começarão em 21 de dezembro e irão até 04 de fevereiro. Também da capital gaúcha a empresa realizará operações extras para Montevidéu, nos feriados de 12 de outubro, de Finados e ao longo da alta temporada. Ao todo, para Montevidéu, serão incluídos 70 voos.

A partir de São Paulo (Viracopos), os Clientes da companhia terão voos para Punta del Este às quintas e domingos. Os horários das partidas vão beneficiar, principalmente, quem parte do Rio de Janeiro, de Goiânia, Belo Horizonte e Brasília, já que será possível realizar conexões imediatas em Campinas, principal hub da Azul. Além disso, aqueles que viajarem pela companhia poderão aproveitar o conforto e a comodidade das aeronaves Embraer 195 para curtir os voos com pouco mais de uma hora de duração até o Uruguai.

De Porto Alegre, as frequências para Punta serão realizadas também às quintas e domingos com as aeronaves modelo ATR 72-600, com capacidade para 70 passageiros. Clientes de todas as regiões do país, em especial São Paulo (Congonhas), Florianópolis, Curitiba, Rio de Janeiro e Navegantes serão favorecidos com as conexões rápidas para a cidade uruguaia. Para a capital do Rio Grande do Sul, a Azul oferece voos de 15 destinos diferentes e é a partir de lá que nossos Clientes gaúchos poderão embarcar em voos para Punta del Este. O destino é um dos mais procurados pelos sulistas que têm moradia no Uruguai e também por conta das ligações rápidas e diretas, um diferencial disponibilizado pela companhia.

Outra cidade uruguaia que receberá voos da Azul será Montevidéu. Durante os feriados de 12 de outubro e de Finados, a companhia vai operar cerca de 40 voos extras no trecho Porto Alegre – Montevidéu. E, ao longo da alta temporada de verão, que vai de dezembro deste ano a fevereiro de 2018, a empresa pretende disponibilizar 30 voos entre os destinos. Essas operações, no entanto, ainda aguardam aprovação das autoridades do setor aéreo.

Para o diretor de planejamento de malha da companhia, Daniel Tkacz, as operações da Azul para as cidades uruguaias estão atreladas à procura de Clientes por esses destinos turísticos.

“Estamos investindo em rotas que tem forte demanda turística, tanto em feriados prolongados, quanto na alta temporada de verão. Punta del Este, por exemplo, é um destino muito procurado por brasileiros nesta época do ano, pois oferece belíssimas paisagens, além de ser o balneário mais luxuoso da América do Sul. Vamos tornar possível o acesso de pessoas de várias cidades do país a partir das conexões em Porto Alegre e Campinas, possibilitando o turismo entre os dois países”, explica Tkacz.

Todos os voos já estão sendo comercializados no site, aplicativo e call center da companhia aérea.

Outros Posts

Campineira assume comitês de entidades de viagens corporativas

Rute Camargo assume integra comitês de entidades de viagens corporativas
Rute Camargo, da Costa Brava Viagens e Eventos

Rute Camargo, gerente de produtos e receitas da Costa Brava Viagens e Eventos, foi eleita como coordenadora do comitê de agências corporativas da Associação Latino Americana de Gestores de Viagens e Eventos Corporativas (Alagev) e do comitê de produtos e novos negócios da Associação Brasileira de Viagens Corporativas (Abracorp), duas das mais importantes entidades do País e da América Latina, responsáveis pelo aprimoramento dos serviços prestados pelo setor de viagens corporativas. A eleição é uma conquista inédita para uma gestora de viagens corporativas de Campinas, que há 13 anos faz parte do quadro de colaboradores da Costa Brava.

Na Alagev, Rute passa a integrar o grupo que produz e discute práticas de gestões de viagens corporativas. Nos encontros realizados mensalmente da entidade, em São Paulo, o grupo propõe temas como a transparência na relação entre fornecedores, agências e clientes. “A associação quer saber se existe transparência e como ela funciona”, analisa Rute. A gestora explica ainda que o comitê vem acompanhando o desenvolvimento da economia compartilhada, que fez surgir produtos e serviços como o Uber o Airbnb. “Entre os temas que criamos recentemente está o questionamento do papel da empresa de gestão de viagens (TMC) nesta nova realidade econômica”, completa.

Na Abracorp, Rute passou a coordenar o grupo que tem como foco os fornecedores, como hotéis, companhias aéreas, locadoras de veículos etc. O comitê acompanha processos que envolvem a relação com fornecedores, visando melhorias de processos que possibilitem sinergias, reduções de custos e elevação do nível de qualidade nos produtos e serviços oferecidos ao cliente corporativo. “Convocamos os fornecedores e tentamos padronizar a operação, negociando condições comerciais, sempre respeitando a particularidade de cada agência”, explica.

O comitê também tenta atender as demandas dos associados, preservando, no entanto, o estatuto da entidade, que prega as melhores práticas de operação e relacionamento com os clientes e demais integrantes da indústria de viagens corporativas. “Os comitês da Abracorp são extremamente importantes em um mercado tão dinâmico como o nosso. Cada dia mais difícil acompanhar tantas mudanças e agir com rapidez e, por isso, eles têm sido fundamentais para gerarmos ações produtivas. Desde que ingressei no comitê de produtos, a qualidade do meu trabalho melhorou muito, pois compartilhamos informações relevantes e de comum interesse aos associados com a indústria. Coletamos anseios de todos e, aproveitando a expertise de cada um em um grupo heterogêneo, trabalhamos os pontos mais críticos na busca de uma solução ideal para a maioria”, avalia.

Outros Posts

Entenda os programas de fidelidade

Fidelidade

No Brasil, Avianca, Azul, Latam e GOL oferecem programas de fidelidade. O melhor caminho para se dar bem com eles é conhecer o funcionamento de cada um.

LATAM Fidelidade
www.latam.com/pt_br/latam-fidelidade
Faz parte do programa de fidelidade Multiplus e permite acumular pontos a cada voo ou com o uso do cartão de crédito. As milhas dão direito a passagens pela Air Canada, Air China, Copa Airlines e demais membros da oneworld. O programa tem quatro categorias — Black Signature, Black, Platinum e Gold — correspondentes à quantidade de trechos voados e de pontos Elite (obtidos pelo cálculo da distância em milhas multiplicados por um percentual de cada categoria de voo) acumulados.

Smiles
www.smiles.com.br/home
Pelo programa de fidelidade da GOL, é possível adquirir bilhetes na companhia e em outras do grupo Star Alliance (Air France, Delta Airlines, KLM, etc.) — não só com voos realizados, mas com compras pelo cartão de crédito e aquisição de produtos e serviços de empresas parceiras. O Smiles tem quatro categorias: Smiles (básico), Prata, Ouro e Diamante. Os benefícios são acesso a lounge, embarque prioritário, bônus no acúmulo de milhas e outros.

Tudo Azul
www.tudoazul.voeazul.com.br
O programa de fidelidade da Azul funciona com acúmulo de crédito nos cartões parceiros. A cada compra, o cliente recebe 5% do valor em milhas. A partir de R$ 50, elas podem ser usadas como desconto na compra. Também há acúmulo na compra de passagem aérea. Neste caso, cada R$ 1 equivale a até 4 pontos. Nas categorias Topázio, Safira e Diamante, os clientes têm garantia de receber entre 2,5 e 3,5 pontos.

Amigo
www.pontosamigo.com.br
Permite acumular pontos a cada voo ou ao comprar com o cartão de crédito. As milhas podem ser trocadas por passagens em empresas-membros do grupo Star Alliance. Os participantes são divididos nas categorias Bronze, Silver, Gold e Diamond, de acordo com os pontos que obtêm. A vantagem do programa em relação aos demais é poder cadastrar a família para juntar pontos e poder emitir passagens para terceiros.

Quanto valem as milhas?

O valor das milhas varia bastante. Em alguns casos, é tão alto que vale mais a pena comprar a passagem em dinheiro. A dica é pesquisar muito. Uma alternativa é usar a ferramenta que combina uso de pontos e dinheiro, ideal para quem precisa de poucas milhas para retirar um bilhete.

Mais privilégios

Se tornar passageiro frequente em uma aliança de companhias aéreas é a melhor maneira de garantir diversas opções de itinerário e ganhar outras vantagens. Quem é passageiro frequente na oneworld, por exemplo, pode se beneficiar dos cerca de 1000 destinos da rede da aliança na hora de resgatar prêmios no programa de fidelidade de companhias aéreas membro. Ao embarcar em voos qualificados, o viajante ainda avança ou mantém o status de seu cartão da aliança, podendo vivenciar privilégios adicionais, como check-in prioritário, acesso para lounges VIP em aeroportos e até bagagem extra sem taxa.

Outros Posts

Brasil e China firmam acordo de vistos

País mais populoso do mundo e maior emissário de turistas internacionais, a China firmou acordo para facilitação de vistos com o Brasil. O documento foi assinado durante a viagem da comitiva do Governo Federal ao país asiático, que se encerrou na última semana. A medida será um importante impulso para o governo brasileiro atingir a meta prevista no plano Brasil Mais Turismo de atrair 12 milhões de visitantes vindos do exterior até 2022.

“Este é o horizonte que buscamos alcançar nos próximos anos. O plano Brasil Mais Turismo prevê a facilitação de vistos, justamente para aumentar este fluxo de turistas. O Brasil é o primeiro país em atrativos naturais, dito pelo Fórum Econômico Mundial este ano, o oitavo em recursos culturais, mas não recebe o número de turistas compatível com este potencial”, afirma o ministro Marx Beltrão.

Em 2016, mais de 130 milhões de chineses viajaram pelo mundo, porém pouco mais de 50 mil escolheram o Brasil como destino. A Organização Mundial de Turismo aponta que a facilitação de vistos é uma importante iniciativa para fortalecer o setor. “A facilitação de vistos é uma das nossas prioridades porque temos estudos que comprovam que através da facilitação de vistos há mais turistas, mais receitas e empregos”, defende Sandra Carvao, diretora de comunicação da OMT.

No acordo assinado entre os governos chinês e brasileiro, fica estabelecido um prazo de validade de cinco anos para os vistos de turista, com múltiplas entradas, com período de estada de 90 dias, renováveis por até outros 90 dias, a cada 12 meses. As novas regras passam a valer no dia 1º de outubro. Antes, o visto geralmente tinha validade de três meses.

O Ministério do Turismo também credenciou 316 brasileiras, que estão aptas a receberem turistas chineses no Brasil em 2017. O cadastro das agências é obrigatório na legislação nacional e também segue determinação do governo chinês.

Outros Posts