Classe Executiva 728x90

         

Como evitar o extravio de bagagens nos aeroportos

As férias e as comemorações de final de ano devem movimentar os aeroportos nacionais e, nesse período, é essencial estar atento à segurança e ao extravio de bagagens. Dados do relatório Panorama 2016, da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR), indicam que, nos últimos dez anos, a demanda de passageiros de voos domésticos no Brasil mais que dobrou e que aproximadamente 193.200 casos de extravio são registrados por ano no País.

Essa situação ocorre quando a bagagem é despachada no guichê do aeroporto, mas sofre algum atraso, dano ou perda no momento do recebimento. Reunimos dicas da Unisys, empresa global de tecnologia da informação sobre alguns cuidados que podem ajudar a evitar que os passageiros passem por esse tipo de situação.

1 – Certifique-se de que a bagagem foi identificada para o destino correto no momento de despachá-la. Lembre-se de retirar os selos de identificação de viagens anterior para evitar confusão sobre os locais;

2 – Coloque etiquetas ou adesivos com identificação de nome, endereço e telefone para facilitar o reconhecimento das malas nas esteiras. Fitas coloridas e cores vibrantes também ajudam a diferencia-la no recebimento;

3 – Carregue documentos pessoais e de trabalho, objetos de valor monetário ou de uso, dinheiro e equipamentos eletrônicos de pequeno e médio porte sempre com você. Evite despachá-los na bagagem para não perdê-los em caso de extravio;

4 – Se for possível, opte por voos diretos. A maior parte dos casos de extravio de malas acontece nas conexões. Quanto maior o número de escalas, maiores são as chances da sua mala se perder pelo caminho;

5 – Ao recuperar sua mala na esteira, abra-a e confira se todos os seus pertences estão em ordem. Caso perceba a falta de algo, notifique imediatamente a companhia aérea.

Além desses passos, a tecnologia já entrega soluções que permitem monitorar as malas durante a viagem. Em alguns lugares do mundo, a Unisys oferece uma solução de tags que podem ser impressas em casa para ajudar no rastreamento da bagagem, por exemplo. Cada mala recebe um código de barras, que é lido e associado ao registro do bilhete antes do embarque na aeronave, ajudando as companhias aéreas a cumprirem os requisitos de segurança do setor.

“O Brasil tem avançado no controle de bagagens, mas há um novo caminho oferecido pela tecnologia a ser percorrido”, afirma Clovis Chiaravalloti, diretor responsável pela vertical de Transportes da Unisys na América Latina.

“Uma das tendências no setor de aviação é expandir as capacidades de autoatendimento dos aeroportos, ao transferir maior controle dos processos aos passageiros. A tecnologia ajuda a garantir segurança e conforto das operações, ao mesmo tempo em que elimina o número de etapas de verificação nos aeroportos. A tranquilidade de saber que sua mala será entregue em conformidade otimiza a experiência dos clientes”, conclui Chiaravalloti.

A IATA (International Air TransportAssociation), associação que reúne a maioria das companhias aéreas do mundo, prevê que, a partir de junho de 2018, toda mala deve ser rastreada e registrada em quatro pontos obrigatórios: check-in, embarque no avião, transferência entre companhias ou aviões e na entrega ao passageiro.

É importante lembrar que, em caso de extravio, a companhia aérea tem um prazo para localizar e devolver a bagagem ao proprietário. Após esse limite, o passageiro deve ser indenizado. No caso de furtos, além de comunicar a empresa, é necessário realizar um boletim de ocorrência junto à polícia para averiguar o caso.

 

 

Outros Posts
VÍDEOS E REDES SOCIAIS
Assista ao Programa Eu Por Aí e se inscreva no nosso canal no YouTube

Curta nossa página no Facebook
Curta nosso perfil no Instagram


Eduardo Gregori

Eduardo Gregori é jornalista profissional especializado em turismo. Eduardo Gregori is a professional tourism journalist

Leia Também