Roteiro de cinco dias pela Ilha da Madeira

Pôr do Sol em Ponta do Sol – Foto: Greg Snel

Dotada de inúmeras belezas naturais, a Ilha da Madeira é um recanto paradisíaco em meio ao Oceano Atlântico. Com clima ameno o ano inteiro, conta com balneários excelentes, montanhas com vistas incríveis, monumentos históricos e ótimos restaurantes, além de atividades focadas em enoturismo e muito contato com a natureza.

Outro quesito importante é sua infraestrutura hoteleira, que mescla hotéis modernos e quintas decoradas em estilo provençal, cheias de charme. Se você está em busca do seu próximo destino de viagem, não deixe de conferir este roteiro de cinco dias pelo fabuloso arquipélago.

Santana – Foto: Turismo da Madeira.

1º dia
Funchal é o ponto de partida para desbravar a maior ilha do arquipélago, a Madeira. Essa pequena cidade cosmopolita esbanja cultura e boa comida. A Zona Velha possui bares e restaurantes ideais para provar lapas – um tipo de molusco local – e a poncha, bebida típica feita com aguardente de cana, limão e açúcar. Entre as atrações, visite o Mercado dos Lavradores, com arquitetura magnífica que oscila entre o Art Déco e o modernismo, e a famosa fábrica de bordados típicos da Madeira, a Bordal.

É dessa região que sai o famoso teleférico. A viagem até Monte, parte alta da cidade, dura cerca de 20 minutos e a paisagem é belíssima. No topo, o Jardim Tropical Monte Palace é imperdível. O espaço ocupa uma área de 70 mil metros quadrados e abriga uma rica e abundante coleção de plantas exóticas, provenientes dos quatro cantos do mundo, além de azulejaria portuguesa, coleções de arte e um museu com uma vasta exposição de minerais.

Tradição Carro de Cesto – Foto: Turismo da Madeira

Na volta, utilize os carros de cesto para descer até o Livramento, metade do percurso para Funchal. Tradicional e divertido transporte madeirense, proporciona muita adrenalina aos turistas.

O centro da cidade também tem seus atrativos como a catedral e o Palácio de São Lourenço, além de concentrar a maior parte dos museus, entre eles, o Museu de Arte Sacra e o Museu da Madeira Wine, edifício com as adegas mais antigas da ilha.

2º dia
Caminhar por um dos inúmeros canais de irrigação, mais conhecidos como levadas, é obrigatório. São cerca de 2 mil quilômetros de caminhos que dão acesso aos cenários raros da floresta Laurissilva, nomeada Patrimônio da Humanidade. Aproveite para esticar o período de contato com a natureza e praticar diferentes esportes radicais como canyoning, rapel, mountain bike, entre outros. Para finalizar o dia, descanso e boa comida em um bom churrasco ao ar livre, a tradicional espetada.

Funchal – Fonte: Turismo da Madeira

3º dia
A Ilha da Madeira é reconhecida mundialmente pelos seus vinhos. Por isso, um passeio temático não poderia faltar. O tour sai de Funchal com sentido às vinhas de Câmara de Lobos, principal município vitícola e produtor da bebida. O trajeto ainda percorre regiões emblemáticas do norte da ilha, como São Vicente e Porto Moniz, e inclui provas em adegas, passeios pelas vinhas, almoço típico madeirense e muitas descobertas.

4º dia
É possível ir para Porto Santo – a outra ilha habitada do arquipélago – em avião ou barco. A forma mais comum é utilizar o ferry que sai pela manhã da Ilha da Madeira e retorna no fim da tarde. Seus extensos areais dourados lhe renderam o apelido de Ilha Dourada, já que percorrem praticamente toda sua costa sul e se unem ao mar azul turquesa. O clima é ideal para passar o dia todo na praia relaxando e curtindo a vista e a areia, que tem propriedades terapêuticas comprovadas. A água do mar do Porto Santo também é usada em tratamentos de talassoterapia, devido às quantidades elevadas de estrôncio, crômio e iodo, elementos benéficos para a saúde. Vila Baleira é a única cidade e abriga a Casa-museu Cristóvão Colombo, que recria o ambiente primitivo onde o famoso descobridor da América viveu.

Mercado Municipal do Funchal – Foto: Turismo da Madeira

5º dia
No último dia, aproveite para fazer atividades tranquilas, como um passeio de catamarã pela costa chamado Rota dos Fajãs. Saindo da Marina de Funchal, o trajeto percorre todo o sudoeste da ilha até chegar a Ponta do Pargo, passando por cenários incríveis e, muitas vezes, ainda intocados. A embarcação faz uma longa parada para a prática de esportes aquáticos, como snorkeling, stand up paddle e caiaque. Também é possível observar a diversidade marinha e avistar golfinhos, baleias e tartarugas.

Outros Posts
VÍDEOS E REDES SOCIAIS
Assista ao Programa Eu Por Aí e se inscreva no nosso canal no YouTube

Curta nossa página no Facebook
Curta nosso perfil no Instagram


Eduardo Gregori

Eduardo Gregori é jornalista profissional especializado em turismo. Eduardo Gregori is a professional tourism journalist

Leia Também